Fernanda Montenegro é eleita a mulher mais admirada do Brasil

Foto da atriz Fernanda Montenegro

Fernanda Montenegro é eleita a mulher mais admirada do Brasil

Ícone da cultura brasileira, Fernanda Montenegro, de 92 anos, foi eleita pelo quarto ano consecutivo a mulher mais admirada do Brasil, de acordo com pesquisa realizada pelo instituto QualiBest. A atriz foi citada por 11% dos entrevistados, e ficou a frente de nomes como Anitta, Ivete Sangalo e a ex-presidente Dilma Rousseff. A cantora, que é um dos maiores nomes da música pop do Brasil atualmente, apareceu em segundo lugar sendo citada por 2.8% dos entrevistados, seguida de perto pela atriz Taís Araújo que foi citada por 2,7%.

Read:  Ex-presidente Lula compartilha falas de ex-BBB sobre desigualdade social

A apresentadora Ana Maria Braga, do Mais Você, que ficou com a segunda colocação em 2021, foi citada por 2,6% dos entrevistados. A pesquisa também trouxe um dado curioso entre o meio político, onde a ex-presidente Dilma Rousseff e a atual primeira dama do país, Michelle Bolsonaro, esposa do atual presidente Jair Bolsonaro, tiveram a mesma quantidade de citações: 2,5%. Fechando a lista, aparecem os nomes como o de Ivete Sangalo (2,4%), Maria da Penha (2,2%), Marta (1,7%) e Luiza Trajano (1.4%).

A pesquisa do Instituto QualiBest ouviu, entre os dias 18 e 27 de fevereiro de 2022, 1.115 pessoas de todas as faixas etárias, classes socioeconômicas e regiões do país.

Read:  Proponen modificar el huso horario de la Argentina

Fernanda Montenegro é eleita para Academia Brasileira de Letras

Fernanda Montenegro foi eleita a nova imortal da Academia Brasileira de Letras (ABL), que era a única concorrente à vaga. A atriz que recebeu 32 votos, é a primeira mulher a assumir a cadeira 17 sucedendo o diplomata Affonso Arinos de Melo Franco (1930-2020).

Fernanda, que dedicou quase 80 dos 92 anos de vida à dramaturgia, com inúmeros papeis em grandes produções da TV brasileira, é apenas a nona mulher eleita para uma cadeira da ABL desde a fundação da academia, há 124 anos.

Read:  La ANMAT prohibió una marca granola por contener un ingrediente “ilegal”