Deolane Bezerra detona fama de morador de rua na internet: “Nojento”

Imagem com foto da advogada e DJ Deolane Bezerra

Deolane Bezerra detona fama de morador de rua na internet: “Nojento”

Deolane Bezerra criticou a forma como a internet está impulsionando a carreira de subcelebridade do morador de rua Givaldo Alves, que viralizou após ter sido flagrado em momentos íntimos com a mulher de um personal trainer de Planaltina, no entorno do Distrito Federal. Em desabafo em uma rede social de fotos, a advogada e DJ criticou a fama alcançada por Givaldo.

“Gente, eu vou falar uma coisa para vocês, eu estou com um ranço de entrar na internet e ver esse ‘mendigo’, que Deus me perdoe, senhor, e esse monte de mulher dando atenção para esse cara nojento!”, alfinetou a viúva do funkeiro MC Kevin. Nesta semana, imagens de Givaldo aos beijos com a influenciadora Grazi Mourão em uma festa no Rio de Janeiro também repercutiram na internet.

Read:  Priscilla Alcântara revela que tem uma mágoa com o SBT: "Não perdoei"

“Olha, pelo amor de Deus, gente, para! Povo tratando o cara como se ele tivesse salvado alguém da morte. O cara ajudou a afundar uma mulher, e as outras mulheres ainda em cima dando beijo, abraço, fazendo tatuagem”, continuou Deolane. “Vamos raciocinar, pensar na vida. A mulher está até agora como? Transtornada em uma clínica psiquiátrica, e esse cara dando risada aí. Um monte de mulherada linda, beijando, agarrando, credo! Me julguem”, finalizou a advogada.

O caso envolvendo Givaldo Alves aconteceu no mês de março, mas acabou viralizando após o morador de rua dar entrevista para diversos veículos de imprensa com sua versão do caso. O homem foi espancado pelo personal trainer Eduardo Alves, de 31 anos, após ser flagrado em ato sexual com sua mulher.

Read:  Encuesta nacional sobre el uso del tiempo para visibilizar las desigualdades

Segundo o boletim de ocorrência, registrado 16º Delegacia de Polícia de Planaltina, a companheira de Eduardo saiu de casa para ajudar o homem em situação de rua. No entanto, como ela demorou, o educador físico saiu em sua procura. Ao encontrar o veículo da mulher, o personal viu os dois em momentos íntimos e partiu para a agressão.

Em entrevista ao site Metrópoles, Eduardo disse que sua mulher estaria em surto psicótico e que não teria havido uma relação consensual, e sim um estupro. “Ele procurou pela esposa e ao avistar o carro estacionado, imediatamente se aproximou, momento em que viu a mulher com um homem, tendo relações [sexuais]. Nesse momento entrou em luta corporal com o acusado, pois, acreditava que ela estava sendo estuprada. A delegacia apura o caso”, disse a Polícia em nota.

Read:  Tensión en Centenario por un enfrentamiento durante la salida de estudiantes en una escuela primaria